Brasil busca empate com Argentina e deixa rival fora da zona de classificação

0

marco-rojo-willian-argentina-brazil-eliminatorias-sudamericanas-13112015_1eh4o02iqk1011fx7pn35yi9q4Com um dia de atraso, Argentina e Brasil ficaram no empate em um gol no Estádio Monumental de Núñez nesta sexta-feira, pela terceira rodada das Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2018, em resultado mais comemorado por visitantes do que por anfitriões, que seguem fora da zona de classificação.

A ‘Albiceleste’ saiu na frente do placar aos 33 minutos do primeiro tempo, com o atacante Ezequiel Lavezzi. Na etapa complementar, aos 13, Lucas Lima empatou, em seu primeiro gol com a camisa dos pentacampeões mundiais, evitando a segunda derrota verde e amarela na competição.

Nos instantes finais, quando a Argentina tentava partir para uma pressão derradeira, David Luiz recebeu dois cartões amarelos em menos de um minuto e acabou expulso, deixando a seleção brasileira com um homem a menos em campo.

A partida estava marcada para acontecer nesta quinta-feira, mas a forte chuva que caiu em Buenos Aires acabou obrigando o cancelamento, pelas condições adversas do gramado e para garantir a segurança dos torcedores.

Com a igualdade, o Brasil chegou aos quatro pontos na competição, ocupando assim a quinta colocação na tabela, ou seja, na zona de repescagem. Os anfitriões, que ainda não venceram, estão com dois pontos, na oitava e antepenúltima colocação, já sete pontos distante do líder, o Equador.

Os comandados por Dunga voltarão a campo nesta terça-feira, para duelo com a seleção peruana, na Fonte Nova, em Salvador. No mesmo dia, a ‘Albiceleste’ duelará com a Colômbia, em Barranquilla.

O clássico desta sexta-feira teve momento de solidariedade aos mais de 100 mortos em Paris, em decorrência a atentados terroristas, com um minuto de silêncio. Torcedores se juntaram aos jogadores, ficaram sem manifestar, respeitando a memória das vítimas.

A grande atração do Brasil para o jogo desta sexta-feira, foi a estreia de Neymar, que cumpriu suspensão nos dois primeiros compromissos das Eliminatórias. Outra novidade foi a presença de Lucas Lima entre os titulares, o que fez Oscar ir parar no banco.

A Argentina, por outro lado, atuou sem o astro principal, Lionel Messi, que está lesionado, mas também sem uma série de peças importantes: Sergio Agüero, Carlos Tévez, Pablo Zabaleta e Ezequiel Garay e Javier Pastore – cortado nesta sexta-feira.

Após o apito inicial, os donos da casa mostraram que jogariam para superar os desfalques, partindo para cima do time de Dunga. Logo no primeiro minuto, Lavezzi obrigou Alisson, que venceu a “batalha dos goleiros brasileiros”, deixando Jefferson e Cássio no banco, a fazer a defesa.

Aos 5, Di María deitou e rolou no lado esquerdo da defesa brasileira, mas não acertou o gol, em nova oportunidade para os anfitriões. Os dois lances ligaram a seleção brasileira na partida, apesar da dificuldade em superar o bom posicionamento defensivo dos argentinos e os próprios erros de passe.

No decorrer da etapa inicial, o confronto esfriou, mas com a seleção da casa sendo mais perigosa, saindo em velocidade do campo de defesa. As chances de gol, no entanto, não surgiram por mais de 15 minutos.

Os momentos de menor movimentação acabaram aos 33 minutos, quando Di María fez linda jogada na região central do campo e achou Higuaín no lado direito do campo. O centroavante cruzou na medida e encotrou Lavezzi livre para estufar as redes.

Nos minutos finais da primeira etapa, o Brasil até esboçou uma blitz, mas David Luiz, de cabeça, e Lucas Lima, em finalização pela esquerda, não conseguiram acertar o alvo.

A etapa complementar começou de maneira semelhante a primeira, com a Argentina pressionando. Logo no minuto inicial, Banega tentou duas vezes pela esquerda, primeiro chutando em cima de Daniel Alves e, sem seguida, acertando a trave.

Apagado até então, Neymar apareceu aos 10 minutos do segundo tempo, em jogada individual. Após receber na intermediária, o atacante do Barcelona clareou para o meio e acertou belo chute, às esquerda de Romero.

No minuto seguinte, Douglas Costa entrou no lugar de Ricardo Oliveira, mostrando estrela, acertando a trave, em cabeçada, logo no primeiro lance na partida. No rebote, Lucas Lima acertou chute de meio-voleio, superando o goleiro argentino, para empatar o duelo.

O gol fez o Brasil aumentar a pressão. Aos 29, Willian fez linda jogada, com direito a elástico, passou por dois marcadores e fuzilou, só que Funes Mori se esticou todo e conseguiu cortar.

Os minutos da seleção mais efetiva foram poucos, já que os sustos provocados, principalmente, pelo lado esquerdo da defesa, começaram a assustar. Aos 41 minutos, David Luiz “deu sorte” ao não ser expulso, ao acertar Dybala com cotovelada.

No lance seguinte, o zagueiro brasileiro mostrou destempero e acertou forte entrada em Biglia, aí sim, recebendo cartão vermelho do árbitro paraguaio Antonio Arias. Para recompor a defesa, Gil entrou no lugar de Willian.

Apesar da vantagem numérica, a desfalcada argentina não conseguiu traduzir o 11 contra 10 em oportunidades de gol nos instantes finais, tendo que se contentar com a igualdade em um gol.

Ficha técnica:.

Argentina: Romero; Roncaglia, Otamendi, Funes Mori e Rojo; Mascherano, Biglia e Banega (Lamela); Di María, Lavezzi (Gaitán) e Higuaín (Dybala). Técnico: Gerardo Martino.

Brasil: Alisson; Daniel Alves, Miranda, David Luiz e Filipe Luís; Luiz Gustavo, Elias e Lucas Lima (Renato Augusto); Willian (Gil), Neymar e Ricardo Oliveira. (Douglas Costa). Técnico: Dunga.

Árbitro: Antonio Arias (Paraguai), auxiliado pelos compatriotas Eduardo Cardozo e Milciades Saldívar.

Gols: Lavezzi (Argentina); e Lucas Lima (Brasil).

Cartões amarelos: Otamendi, Mascherano (Argentina); Filipe Luís, Lucas Lima e David Luiz (Brasil).

Cartão vermelho: David Luiz (Brasil).

Estádio: Monumental de Nuñez, em Buenos Aires (Argentina).

 

Fonte: Terra

Deixe seu comentário

Por favor digite seu comentário!
Por favor digite seu nome aqui