De Sapos, de Águias e de Mudanças – Janeiro 2016

0

Cuidado com a zona de conforto, com o comodismo. Experiência com um sapo colocado numa panela com água, levada ao fogo, fica imóvel durante todo o tempo em que o líquido se aquece até ferver. Ele não reage ao gradual aumento da temperatura e morre cozido. Já um sapo jogado numa panela com água fervente salta imediatamente para fora, meio chamuscado, porém vivo!
Alguns empresários e profissionais agem como sapos fervidos. Não percebem as mudanças no ambiente dos negócios, do trabalho e acham que está tudo bem, que tudo vai passar e que é só uma questão de tempo. E quebram ou fazem um grande estrago em suas empresas ou carreiras morrendo como o sapo na água fervida!
Ficam parados esperando, esperando, a crise passar, as coisas acontecerem. Não! Não pode ser assim.

Tem que fazer acontecer, criar novas oportunidades, o sucesso só acontece para quem tem atitude, inovação, busca novos mercados, capacitação, qualificação dos funcionários, atendimento diferenciado, inovando produtos e serviços.

A Águia

Da espécie das aves, ela é quem possui a maior longevidade, pois chega a viver setenta anos. Mas, para chegar a essa idade, a águia, aos quarenta já está com as unhas compridas e flexíveis, não consegue mais apanhar suas presas para se alimentar. O bico alongado e ponti-agudo fica curvado. As asas envelhecidas e pesadas em função da grossura das penas. Voar, fica dificílimo. E, nessas circunstâncias, a águia tem duas alternativas: morrer ou enfrentar um doloroso processo de renovação que chega a durar seis meses. Voa para o alto de uma montanha, se recolhe num ninho próximo a um paredão e começa a bater com o bico no paredão até conseguir arrancá-lo. Depois de arrancar o bico, espera nascer um novo bico, com o qual vai arrancar as unhas.
Quando as novas unhas começam a nascer, ela passa a arrancar as velhas penas. E após cinco meses, a águia sai para o vôo da renovação que possibilitará a ela viver mais trinta anos. Jacques Cousteau, o grande oceanógrafo francês, autor de observações sobre o comportamento e da vida de inúmeras espécies, como esta das águias, dizia que em nossa vida, muitas vezes temos que começar um processo de renovação; e que para um vôo de renovação, precisamos nos desprender de certas lembranças, de certas mágoas, de certos costumes, hábitos e outras tantas coisas que nos causam dor.
É um processo doloroso, mas necessário, a renovação. Temos que arrancar o bico do nosso orgulho e arrogância, aprender a ter paciência e serenidade para esperar o bico crescer, depois arrancar as próprias unhas do desânimo, das crenças negativas, depois arrancar as velhas penas das mágoas, frustrações e conformismo.
Pronto, você se livrou de tudo que é negativo, ruim, que causam dor, agora você renasceu para novos vôos, mais livre, experiente, com mais força e coragem, com o coração e a mente aberta para novas oportunidades.

Mudanças

Albert Einstein já dizia: Insanidade é continuar fazendo sempre as mesmas coisas e esperar ter resultados diferentes.
As mudanças ocorrem a partir do pensamento, quando decidirmos encarar o desfio de mudar, ter novas atitudes, novos comportamentos, novas formas de se relacionar com as pessoas. Buscar viver de uma forma mais saudável, mais positiva, diante dos obstáculos e dificuldades da vida. Mudanças exigem sacrifícios, determinação, força de vontade, é assim mesmo, só vence quem luta, só alcança quem corre, só consegue realizar os objetivos que se compromete a realizá-los.

Últimos posts por Lincoln Nogueira (exibir todos)

Deixe seu comentário

Por favor digite seu comentário!
Por favor digite seu nome aqui

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.