Fortaleza: Matemática é a maior área de dificuldade na educação do município

0
( Foto: supletivo mariano )

Alfabetização na idade desejável, no 2º ano do ensino fundamental, é realidade para 91% dos estudantes das escolas públicas de Fortaleza. O número representa grande avanço, se considerado que, em 2013, esse total era de 62%. A rede municipal, entretanto, encontra um desafio com fortes impactos ao restante da vida escolar. No 9º ano, o último antes do ensino médio, apenas 4,3% dos alunos estão no nível considerado adequado em Matemática. Os números são do Sistema Permanente de Avaliação da Educação Básica (Spaece) 2017, que avalia aprendizagem em momentos cruciais: 2º ano (após alfabetização), 5º (conclusão do fundamental I) e 9º ano (fim do fundamental II). Base e material didático. Para a professora de matemática Poliana dos Santos, a maior dificuldade de repassar conteúdos da disciplina aos alunos é a ausência de compreensão de conceitos básicos. “Somado a isso, a falta de material pedagógico nas séries iniciais, que dão todo o embasamento para o desenvolvimento do raciocínio lógico”.

De acordo com o prefeito Roberto Cláudio (PDT), os resultados são reflexo de ações priorizadas. “Começamos a trabalhar só a alfabetização, passamos a dar conta de melhorar. Depois fomos olhar Português no 5º e 9º ano, e agora a tarefa é olhar Matemática”, resumiu. Para isso, além da formação específica aos professores da área, a Prefeitura promete premiação de smartphones aos melhores alunos. A titular da Secretaria Municipal da Educação (SME), Dalila Saldanha, afirma que a meta agora é alfabetizar 100% das crianças no 2º ano. Ela aponta que o caminho para combater as deficiências do 5º e 9 ano é acompanhamento contínuo, série a série. “Como em 2012 não tínhamos resolvido ainda a alfabetização, então é natural que esse processo seja contínuo”, justifica.

Deixe seu comentário

Por favor digite seu comentário!
Por favor digite seu nome aqui