PUBLICIDADE

O desafio dos cearenses nas competições internacionais

Por Lúcio Filho
Foto: Kid Júnior/SVM e Conmebol

Chegou o tão esperado dia das estreias de Fortaleza e Ceará nas competições internacionais para as  quais se classificaram na temporada passada.

Na quinta teve a estreia do Fortaleza com derrota para o Colo-Colo, no Castelão, por 2 a 1. Com certeza não foi o resultado que a torcida esperava, mas foi bonito ver a festa dos tricolores nas arquibancadas. Mais um mosaico para impressionar toda a América do Sul e para colocar o futebol cearense na principal vitrine do continente.

Em campo a história foi outra: o Leão sentiu o peso da estreia. Afinal, para a maioria do elenco foi uma competição nova e faltou ao Fortaleza a experiência para enfrentar este tipo de adversário. Depois da partida houve muita reclamação, inclusive justa, da arbitragem que deixou de marcar um pênalti claro em Renato Kayzer.

Porém, culpar apenas a arbitragem, que realmente deixou a desejar, é tentar fugir de uma responsabilidade. O Fortaleza foi dominado pelo Colo-Colo no primeiro tempo. Não conseguiu usar o contra-ataque, uma das suas principais armas durante toda a Copa do Nordeste, e quando chegou ao ataque adversário não conseguiu converter. Os chilenos também chegaram pouco, mas não desperdiçaram oportunidades.

Sílvio Romero ainda não rendeu o se espera que dele em uma Libertadores. Já Renato Kayzer entrou bem e diminuiu a vantagem do adversário. O Fortaleza até cresceu no segundo tempo, mas depois de ter tomado um gol logo no início da segunda etapa. Não conseguiu aproveitar as oportunidades que criou e uma competição como a Taça Libertadores não perdoa.

É possível dar ao Fortaleza o desconto da estreia. Uma competição nova, mas que o Fortaleza precisa urgentemente entrar no ritmo que ela exige. Não há muito tempo para descanso. Depois de enfrentar o Cuiabá no domingo em sua estreia no Campeonato Brasileiro, o Leão já deve seguir a Buenos Aires onde enfrenta o River Plate na próxima quarta-feira. É importante tentar surpreender os hermanos em seus domínios para se recuperar da estreia. Uma tarefa dificílima, mas não impossível.

Na Liberta, dirigente e o próprio técnico Juan Pablo Vojvoda não escondem o desejo de lutar por uma classificação para as oitavas de final. Porém, para o Fortaleza, por ser estreante, não parece ser de todo ruim terminar em terceiro e ir para as oitavas de final da Copa Sul-Americana.

 

Resultado surpreendente e a briga pela Classificação

 

Este colunista falou durante o sorteio dos Grupos da Copa Sul-Americana pela Rede ANC que o Ceará entrou em um grupo indigesto na competição. Talvez mais difícil que o grupo do Fortaleza na Libertadores, pois na Sula apenas o primeiro de cada grupo segue na competição.

Eis que o Ceará resolve queimar a língua do jornalista quando vence o favorito Independiente na partida de estreia. Zebra? Muito longe disso. O Ceará fez por merecer a vitória, muito mais pelo empenho que pelo futebol apresentado. Soube aproveitar os erros dos adversários e cravou os três pontos que precisava para seguir com esperança de classificação.

Havia falado ainda que além de favorito no grupo, o Independiente é favorito ao título da Sul-Americana. Porém, a derrota para o Ceará no primeiro jogo vai exigir que o Rei de Copas não só vença o seu próximo compromisso, como conte com um tropeço do Alvinegro.

O Vozão precisa fazer a sua parte pontuando contra os próximos adversários: Deportivo La Guaira, da Venezuela; General Caballero, do Paraguai. A parada não é tão simples quanto parece, mas está longe de ser impossível. Há quem diga que se o Ceará fizer oito dos doze pontos que vai disputar pode chegar em Avellaneda já classificado para a fase seguinte.

Na teoria parece fácil, mas é Copa Sul-Americana e o Ceará precisa confirmar isso em campo. Pode até ser difícil, mas está longe de ser impossível.

 

Campeonato Brasileiro

 

Já começa neste sábado (09/04) a Série A do Campeonato Brasileiro. Ceará e Fortaleza estão longe de serem os favoritos ao título, mas chegam com uma responsabilidade e tanto para esse ano.

O Fortaleza, melhor nordestino no ranking da CBF e único representante da região na Libertadores, chega depois de ter sido a sensação de 2021. Primeiro clube do Nordeste a se classificar para a fase de grupos da Libertadores, o Leão subiu o próprio sarrafo e chega impondo respeito aos adversários.

Depois de surpreender adversários como Atlético Mineiro, Palmeiras, Fluminense e São Paulo fora de casa, a equipe de Juan Pablo Vojvoda manteve a sua base. Resta saber se o Leão vai conseguir conciliar a disputa da Série A com a Copa do Brasil e a Libertadores da América. O Fortaleza estreia no domingo contra o Cuiabá, no Castelão.

O Ceará vem para o Brasileiro de 2022 com o peso das eliminações dolorosas no Campeonato Cearense e na Copa do Nordeste. Porém, a pressão da estreia contra o Palmeiras, neste sábado, foi amenizada pela vitória frente ao Independiente pela Sul-Americana.

O Alvinegro precisa virar a chave. Sabe que vai enfrentar um adversário difícil, contra quem não venceu em 2021. O Palmeiras é favorito vindo da conquista do título paulista e da Recopa, além da estreia com vitória na Libertadores.

O time paulista é favorito ao título brasileiro e certamente vai querer estrear com vitória. Ao Ceará, cabe jogar com inteligência e surpreender o adversário. É mais difícil por estar fora de casa, mas também longe de ser impossível.

 

Série C

 

Na Série C do Brasileiro, o Atlético Cearense é o primeiro a entrar em campo já neste sábado contra o Campinense, em Horizonte. No domingo entram em campo o Floresta contra o Confiança e o Ferroviário viaja para enfrentar o Mirassol.

Na competição há esperanças de que os três façam campanhas competitivas e que estejam na briga pelas primeiras posições. O Ferroviário chega após uma boa disputa no Campeonato Cearense, tendo caído nas semifinais para o Fortaleza e vem de duas disputas de Série C, onde bateu na trave para passar a fase de mata-mata.

O Floresta chega após participar da Copa do Nordeste. O Lobo da Vila Manoel Sátiro aguarda o início da Série B do Campeonato Cearense e briga pela permanência, além de ter condição de se manter por mais um ano, garantindo um calendário movimentado o ano todo.

Já o Atlético Cearense tem a situação mais delicada. Entra na Série C com peso de ter sido rebaixado no Campeonato Estadual. Depois de um acesso heroico, a Águia da Precabura não passa confiança de que brigue pela permanência, mas tomara que surpreenda como fez o Floresta em 2021.

Com um novo formato, a Série C 2022 será disputada em turno único, no sistema de pontos corridos com os vinte clubes se enfrentando em confrontos apenas de ida. Ao término da primeira fase, os oito melhores colocados se classificam para fase seguinte, enquanto que os quatro últimos são rebaixados à Série D de 2023.

A partir daí o formato será o mesmo: dois grupos com quatro times que jogam dentro de suas chaves em turno e returno. As duas melhores equipes de cada grupo conquistam o acesso para a Série B de 2023. Os primeiros colocados de cada grupo fazem a final da Série C deste ano para decidir o título da competição.

Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no print
Imprimir