PUBLICIDADE

Polêmica sobre Romero, situação de Fernando Miguel e dono de gigante europeu de olho; confira os destaques do Fortaleza

Por Seltton Mourão

Após rumores de que o Fortaleza teria avaliado o período inicial do atacante Silvio Romero e pensava em devolvê-lo ao Indepiendente-ARG terem circulado nesse domingo, 13/03, o Leão do Pici comunicou que não tem intenção de rescindir o contrato do atacante argentino. Fontes do próprio Fortaleza e do staff do jogador foram ouvidas e ambas negaram a informação de que o contrato de Romero seria rescindido.

Um outro assunto que surgiu neste domingo movimentado nos bastidores tricolor foi a ausência temporária do goleiro Fernando Miguel no decorrer da temporada. O arqueiro tricolor ficará de fora por ainda mais tempo devido a um entorse no joelho esquerdo que pode tirá-lo dos gramados por até seis meses, segundo o portal Futebol Cearense.

A assessoria do Leão do Pici confirmou a lesão do atleta, mas deixou o tempo de recuperação em aberto, já que, para esse tipo de lesão, o período gira em torno de três a seis meses. Contratado para ser o goleiro titular do Fortaleza em 2022, Fernando Miguel até iniciou a temporada como titular, mas acabou perdendo a posição para Max Walef após algumas atuações inconsistentes e a falha no Clássico-rei.

Mercado

Após o interesse do City Group, que já possui negociações com Atlético-MG e Bahia, a vez de querer investir em um time brasileiro e expandir sua atuação para o Brasil é do fundo norte-americano Fenway Sports Group.

O FSG é uma das maiores holdings esportivas do mundo e possui times em vários esportes como o Boston Red Sox (beisebol), o Pittsburgh Penguins (hóquei no gelo) e o Liverpool (futebol). A holding tem como um de seus acionistas o jogador do Los Angeles Lakers, Lebron James.

Por se tratar de um interesse em fases iniciais, o pouco que se sabe até o momento é que o grupo gostaria de montar uma equipe para brigar pelos títulos mais importantes e também faturar com premiações e merchandising. Por isso, a preferência é a compra de um clube que já esteja na Série A e seja minimamente bem estruturado.

Cruzeiro, Athletico-PR e Fortaleza já foram apontados como possíveis alvos do conglomerado. Porém ainda não houve oferta e nem mesmo promessas mais formais feitas a esses clubes.

WhatsApp
Facebook
Twitter
Telegram
Imprimir