A Notícia do Ceará
PUBLICIDADE

Prefeitura de Caucaia lança programa “Bora Habitar”

A Prefeitura de Caucaia anunciou o lançamento do programa habitacional “Bora Habitar”. Em uma live, o prefeito Vitor Valim (PSB) explicou que o programa pretende distribuir mais de 3 mil lotes para moradia de famílias de baixa renda residentes no município. O objetivo é beneficiar famílias que não possuam outro imóvel e que não tenham sido contempladas por outros programas de moradia.

De modo a atender os critérios do programa, as famílias beneficiadas deverão realizar suas construções no terreno em até cinco anos. As inscrições começam na próxima segunda-feira (17/06) para famílias com renda bruta mensal de até três salários mínimos.

Prefeitura de Caucaia lança programa "Bora Habitar"
Foto: Prefeitura de Caucaia

O programa é coordenado pela Secretaria Municipal de Planejamento Urbano e Ambiental (Seplam) e os lotes serão distribuídos em nove bairros: Alto do Garrote, Campo Grande, Parque Soledade, Tabapuá, Parque Albano, Jandaiguaba, Caraúbas, Araturi e Lagoa do Banana.

Grupos Prioritários

O programa leva em consideração critérios específicos para definir o público-alvo. Dessa forma, serão priorizadas famílias onde a mulher é a responsável pela unidade familiar; famílias com pessoas com deficiência, idosas, crianças ou adolescentes; famílias em situação de risco, emergência ou calamidade; famílias em situação de rua.

Inscrições

As inscrições serão realizadas presencialmente na sede da Seplam, localizada na Rua Jerônimo Amaral, número 99, no Centro de Caucaia. Os candidatos devem levar a ficha de inscrição e as declarações preenchidas e assinadas, junto com a documentação comprobatória, em um envelope opaco que será lacrado no ato da inscrição.

Os documentos necessários incluem RG, CPF, comprovante de residência atualizado e comprovante de inscrição no Cadastro Único. Será preciso também apresentar um comprovante de renda atualizado de todos os integrantes da família com atividades remuneradas.

Regulamentação e Prazos

Os beneficiários receberão os lotes com a documentação individualizada e não poderão transferir o bem para outros. No caso de não haver obras realizadas no prazo de cinco anos, o imóvel retorna para a Prefeitura. Com isso, o terreno poderá ser disponibilizado ao próximo beneficiário do cadastro reserva, com exceção de um motivo justificável.

Acompanhe mais notícias da Rede ANC através do Instagram, Spotify ou da Rádio ANC.

WhatsApp
Facebook
Twitter
Telegram
Imprimir