A Notícia do Ceará
PUBLICIDADE

Profissionais da Educação criticam distanciamento de Lula

Membros do Sindicato Nacional dos Servidores Federais da Educação Básica (Sinasefe) repudiaram as zonas de bloqueio na vinda do presidente Lula a Fortaleza. Na ocasião, os profissionais preparavam um movimento para manifestar insatisfações contra o reajuste de 0% proposto à categoria em 2024.

Mesmo com a dificuldade de acesso ao presidente, os servidores realizaram a manifestação do lado de fora do Palácio da Abolição. “É assim que ele [Lula] recebe os trabalhadores, a categoria que o colocou no poder e que foi às ruas”.

Os manifestantes enfatizaram que o bloqueio imposto pela segurança presidencial só aumentou a frustração e o sentimento de desvalorização entre os servidores. 

A manifestante que aparece no vídeo ressaltou a importância do diálogo aberto e transparente entre o governo e os trabalhadores, especialmente em tempos de crise e insatisfação generalizada. 

Os representantes do Sinasefe destacaram que a educação é um pilar fundamental para o desenvolvimento do país e que não atender às reivindicações é desvalorizar a categoria.

Confira:

Atualização

Os professores das universidades federais do Ceará decidiram encerrar a greve que durou dois meses. Em assembleia geral, os docentes condicionaram o fim da greve à assinatura de um acordo com o Governo Federal, prevista para julho. Servidores e técnicos do Instituto Federal do Ceará (IFCE) também optaram pelo fim da paralisação.

Com a decisão, as aulas podem ser retomadas na Universidade Federal do Ceará (UFC), Universidade Federal do Cariri (UFCA) e Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab). Na oportunidade, foram 107 votos favoráveis e 58 contra o fim da greve.

 

WhatsApp
Facebook
Twitter
Telegram
Imprimir