A Notícia do Ceará
PUBLICIDADE

Projeto “Paz no Lar” Completa 9 anos nesta quarta-feira (19)

O projeto “Paz no Lar”, desenvolvido pelo Poder Judiciário do Ceará através do Juizado de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher da Comarca de Maracanaú, comemora nesta quarta-feira (12), nove anos. Desde sua criação, o projeto já realizou 3.477 visitas às casas de mulheres vítimas de violência doméstica, oferecendo suporte integral e criando um ambiente seguro para elas.

Responsável pelo Juizado da Mulher de Maracanaú e gestor do projeto, o juiz César Morel Alcântara, destaca o impacto positivo do “Paz no Lar” nas vidas das mulheres atendidas. “Não é apenas uma comemoração de datas, é uma celebração de histórias de superação e esperança renovada”, afirma.

Uma equipe psicossocial, que inclui a participação da Polícia Militar e da Guarda Municipal, visita as casas das mulheres que têm medidas protetivas concedidas pela Justiça. Além de verificar se essas medidas estão sendo cumpridas, a equipe oferece acompanhamento psicológico, atividades de lazer, esportes e encaminhamentos para cursos de capacitação profissional e mercado de trabalho. O projeto envolve uma rede de instituições públicas e privadas para garantir uma proteção abrangente.

O “Paz no Lar” começou em 12 de junho de 2015, inicialmente chamado “Ronda da Família”, com o objetivo de proteger famílias inteiras em situações de violência doméstica. Na época, como não havia um Juizado da Mulher em Maracanaú, a 3ª Vara Criminal executava as ações. A juíza Janayna Marques, idealizadora do projeto, ressalta a importância de acompanhar de perto as vítimas para garantir que não se sintam sozinhas.

Muitas mulheres que passaram pelo projeto relatam mudanças significativas em suas vidas. C.M., uma das beneficiadas, escreveu um poema em agradecimento ao apoio recebido: “Eu me senti acolhida / Renovei minha esperança / Acredite minha gente / A equipe e o Tenente / Ofereceram mudança.” Outra beneficiada, J.L., estudante de serviço social, conta como o projeto transformou sua vida: “Depois que passei por esse projeto, as coisas mudaram. Vocês são luz em meio à escuridão dessas mulheres.”

O juiz César Morel Alcântara quer expandir o “Paz no Lar” para outras regiões do estado. “Nossa ideia é fortalecer o projeto, estruturá-lo cada vez mais e, a partir daí, ter um modelo para ser usado por outras unidades, especialmente onde existe o Juizado da Mulher”, explica. O projeto também inclui um núcleo de acompanhamento dos agressores para evitar a reincidência, promovendo mudanças culturais necessárias.

O “Paz no Lar” conta com parcerias públicas e privadas, como Lunelli, COBAP e Frosty, que ajudam na capacitação e emprego das mulheres, passos que ajudam a romper o ciclo de violência. Estudantes de Direito, Psicologia e Serviço Social também participam como estagiários voluntários, contribuindo para o sucesso do projeto.

Completando nove anos de atuação, o “Paz no Lar” continua sendo uma referência na proteção e apoio às mulheres vítimas de violência doméstica em Maracanaú, promovendo a segurança, a autonomia e a esperança de um futuro melhor para muitas famílias.

WhatsApp
Facebook
Twitter
Telegram
Imprimir