A Notícia do Ceará
PUBLICIDADE

Após idosa perder parte da audição em ‘loucura de amor’, família é indenizada em R$ 16 mil

Após idosa perder parte da audição dos dois ouvidos, durante acidente com fogos de artifício em uma “loucura de amor”, familiares da idosa receberão uma indenização de R$ 16 mil.

O acidente aconteceu em Fortaleza no dia 7 de dezembro de 2019, quando uma “loucura de amor” foi enviada à casa da enteada de Maria de Fátima Brás Félix, em comemoração a um aniversário. O carro de mensagens que executou a homenagem disparou fogos de artifício, no qual acertaram a idosa entre o ombro e o pescoço.

O acidente na idosa causou queimaduras graves e comprometeu a audição nos dois ouvido da vítima, provocando perda neurossensorial de grau leve no lado direito e limiares auditivos normais com rebaixamento em 6k e 8k Hz no lado esquerdo.

Maria de Fátima, na época, chegou a registrar um boletim de ocorrência e procurou ajuda na Defensoria para responsabilizar a empresa da “loucura de amor”. O defensor público Daniel Leão explica que, além da gravidade das lesões, a idosa relatava situação de despreparo por parte da empresa.

“Nessa situação, promovemos uma ação de reparação de danos materiais e morais, o que foi acolhido pelo Poder Judiciário em primeira e segunda instância, sendo a empresa condenada a pagar uma indenização para a vítima”, disse o defensor.

Antes do processo ser concluído, a vítima faleceu em 2022, fazendo com que a família recebesse a indenização apenas neste ano.

A defensora Carol Gondim revela que a empresa negava a própria relação e a existência do acidente e foi preciso a vítima resgatar o vídeo da festa comprovando a causa do acidente. Além disso, a defensora ressalta a importância de guardar mensagens, chats, contratos de empresas, visto que é através disso que é possível conseguir uma decisão favorável em um processo.

Desde o ano de 2021, através de uma lei municipal, é proibido a a comercialização, posse e utilização de fogos de artifício que emitem sons estridentes em Fortaleza. A decisão determina que restrições rigorosas ao manuseio dos artefatos, com o intuito de demonstrar sensibilidade em relação aos animais e grupos vulneráveis.

Acompanhe mais notícias da Rede ANC através do Instagram, Spotify ou da Rádio ANC

WhatsApp
Facebook
Twitter
Telegram
Imprimir